[DIÁRIO DE LEITURA] As Vinhas da Ira #2


Jod e o Pastor chegam então na casa do primeiro e a encontram abandonada, o gato magro e tudo desolado. Um vizinho aparece e conta que todos foram embora. Divide com eles um coelho e os leva a uma gruta, onde podem dormir protegidos.

Antes disso, temos uma passagem que explica que as famílias daquela região (na qual existem plantações de algodão) foram despejadas pelos bancos – “monstros” (os tratores chegam ao ponto de derrubar as casas com as pessoas dentro – oi, Dória!).

É interessante notar que, embora esta narrativa se situe no início do século XX, atualmente o mesmo movimento acontece com os sucessivos despejos por causa de hipotecas não pagas nos EUA. Basta assistir ao documentário de Michael Moore, sobre o capitalismo.

Estas famílias vão então em direção à Califórnia, evocando nosso drama do Sertão, como em Morte e Vida Severina.

Veja a Parte I desse Diário

Anúncios

O que achou dessa leitura?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s