[TÉCNICO] A Condessa Sangrenta


Elizabeth_Bathory_Portrait

Esta obra se trata da tentativa de suavizar os atos bárbaros da condessa húngara Erzsébet Báthory, por meio de uma linguagem mais poética (e um pouco erótica) e de ilustrações fantasiosas e belíssimas (do argentino Santiago Caruso) que dão um clima de sonho ou pesadelo, nos distanciando da realidade e, portanto, não criando uma relação empática e direta com as vítimas (supostamente mais de 600) de suas torturas artroses, nos idos do século XVI.

Castelo de Csejte, o local de prisão e morte da Condessa, onde os assassinatos aconteceram.

Castelo de Csejte, o local de prisão e morte da Condessa, onde os assassinatos aconteceram.

O livro é curtinho e você lê rapidamente, mas seu conteúdo fica com a gente, já que não deixei de me impressionar e sofrer um pouco por estas moças inocentes que perderam a vida de maneiras tão cruéis.

Lido em 2 dias.

Dados da Edição Lida:

A_CONDESSA_SANGRENTA_1304424566Bnaipes-023

Alejandra Pizarnik
Ano: 2011 / Páginas: 60
Editora: Tordesilhas

Link no Skoob

Anúncios

O que achou dessa leitura?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s