[MÊS DOS CONTEMPORÂNEOS] A Revolução dos Bichos


(Este trecho se refere aos capítulos 1 e 2)

revoluçãodosbichos2

Este livro já começa com uma reunião entre os bichos da fazenda do sr. Jones, sendo que quem a preside é o porco, com seus veneráveis 12 anos e presas não cortadas.

Num discurso que atualmente as pessoas levariam para o sentido da libertação animal, vegetarianismo, meio-ambiente, etc, na época (década de 1940), com certeza foi interpretado mais como a necessidade de se lutar contra o lado negativo do capitalismo, onde patrões enriqueciam sobre o trabalho mal-remunerado de seus funcionários que mantinham, por toda vida, uma situação precária.

Então, quando o porco clama pela eliminação do Homem da equação, de modo que todos os problemas dos bichos sejam resolvidos, está, indiretamente dizendo: abaixo os patrões.

Dias depois o porco de chifres, que se chamava Major, morre e os outros porcos assumem a liderança criando o Animalismo. Em reuniões secretas, eles tentam doutrinar os animais, tirando dúvidas sobre como será a vida em liberdade. Alguns animais tem dificuldade em se imaginarem sem algumas coisas com as quais estão acostumados (incluindo aí uma espécie de religião), num momento bem Matrix, da escolha da pílula. Afinal, o mundo “real” é duro, com sua escuridão e mingau sem gosto e o da Matrix, com sua maquiagem, parece bem mais aprazível.

revoluçãodosbichos3

O que facilitou a revolução, no entanto, foi que o sr. Jones começou a beber, ficou negligente, empobreceu e os animais passaram a sentir fome, precisando forçar o depósito para se alimentarem sozinhos. Querendo puni-los com chicote, o dono acabou despertando a ira dos animais que o atacaram violentamente.

Nisso os humanos fugiram, deixando a fazenda aos animais. O primeiro ato deles foi simplesmente destruir tudo – como os revolucionários franceses fizeram à Bastilha, à Tulherias, à Notre Dame.

O segundo foi escrever – os porcos haviam aprendido – os 7 Mandamentos do Animalismo:

  1. qualquer coisa que ande sobre duas pernas é inimigo;
  2. qualquer coisa que ande sobre quatro pernas, ou tenha asas, é amigo;
  3. nenhum animal usará roupas;
  4. nenhum animal dormirá em cama;
  5. nenhum animal beberá álcool;
  6. nenhum animal matará outro animal;
  7. todos os animais são iguais
Anúncios

4 pensamentos sobre “[MÊS DOS CONTEMPORÂNEOS] A Revolução dos Bichos

  1. Pingback: [MÊS DOS CONTEMPORÂNEOS] A Revolução dos Bichos #2 | Leituras de Taróloga

  2. Pingback: [MÊS DOS CONTEMPORÂNEOS] A Revolução dos Bichos #3 | Leituras de Taróloga

  3. Pingback: [MÊS DOS CONTEMPORÂNEOS] A Revolução dos Bichos #4 | Leituras de Taróloga

  4. Pingback: [MÊS DOS CONTEMPORÂNEOS] A Revolução dos Bichos #5 | Leituras de Taróloga

O que achou dessa leitura?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s